"> Paleta de cores no cinema: A arte de comunicar através do que podemos ver – i9TV
i9TV
Share
Des04a
Voltar
Categorias
//Paleta de cores no cinema: A arte de comunicar através do que podemos ver

Paleta de cores no cinema: A arte de comunicar através do que podemos ver

As cores influenciam as nossas vidas. Em um exemplo básico, é fácil e quase intuitivo sentir-se em paz quando fechamos os olhos e imaginamos um céu azul e limpo, os raios alaranjados do sol entrando por entre as frestas de uma janela. Ou contrário, quando pensamos um dia nublado, carregado por fortes tons de cinza e cores frias, naturalmente, pensamos em tristeza ou até mesmo, perigo.

No audiovisual, sobretudo nas produções cinematográficas, a ciência das cores é um elemento subjetivo fundamental para construir emoções dentro das narrativas. Além disso, uma paleta de cores bem construída pode criar o clima ou gerar expectativa dentro de uma cena. E da mesma forma que é capaz de nos fazer sentir, as cores são capazes de nos fazer pensar. Elas estão ligadas a conceitos culturais e sociais, arraigados em nosso inconsciente.

Um bom exemplo é o filme ‘Her’, em que a escolha das cores transmite ao espectador através do vermelho, a ideia romântica, erótica, triste e também, revolucionária. Além da utilização dos tons de azul para representar o inumano. As cores em tons ocre foram bastante exploradas no cenário.

Her (2014), Spike Jonze

Outro filme em que é possível sentir claramente a influência das cores é em Harry Potter, onde conforme a tensão da trama vai aumentando, a presença de sombras e cores frias também se tornam mais evidentes.

Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 (2011), David Yates

Em brilho eterno de uma mente sem lembranças, a escolha das cores traduz nostalgia  e memórias.

Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças (2004), Michel Gondry 

Wes Anderson é um dos cineastas mais amados pelo designers. Sua escolha de cores marca registrada na fotografia de seus filmes. Por exemplo, em Grande Hotel Budapeste, suas escolhas são simétricas e quase monocromáticas.

O Grande Hotel Budapeste (2014) dir. Wes Anderson

É possível encontrar no twitter @cinemapalettes, uma compilação de diversos filmes. Confira a seleção de paletas muito interessantes de filmes de sucesso que separamos para vocês:

Garotas Malvadas (2004), Mark Waters 

Alice no País das Maravilhas (2010), Tim Burton

Frozen – Uma Aventura Congelante (2014), Jennifer Lee, Chris Buck 

Forrest Gump: O Contador de Histórias (1994), Robert Zemeckis

Malévola (2014), Robert Stromberg

Beleza Americana (2000), Sam Mendes

Animais Fantásticos e Onde Habitam (2016), David Yates

 

Mad Max (2015), George Miller

O que achou? Deixe a sua opinião nos comentários!

  • 0 Comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Contato
Fechar
Top